De tempos em tempos, alguns conceitos passam a dominar o mundo dos negócios e se tornam assunto em todos os espaços. Isso é muito positivo porque significa que o ecossistema está conectado e absorvendo as demandas. No entanto, o problema é quando essas ideias ficam esvaziadas do seu sentido original e a expressão RH estratégico é um exemplo disso.

A própria expressão Recursos Humanos vem sendo substituída e já é comum chamá-la de área de Pessoas e Cultura. E neste sentido, vamos considerar neste artigo essa nova abordagem.

Afinal, o que é essa nova área de pessoas sendo um setor estratégico? Explicaremos como esse conceito se aplica no cotidiano da sua empresa e também mostraremos como seu time pode se preparar, utilizando essa ideia, para o futuro do trabalho.

O que é uma área estratégica de pessoas?

Podemos dizer que é o setor responsável por alinhar suas práticas e todos os colaboradores na direção dos objetivos da empresa. Assim, trata-se de um time que trabalha focado em resultados, de forma integrada com todas as áreas da organização. Afinal, uma empresa é feita por pessoas.

Até hoje é comum que esse time, muitas vezes ainda chamado de Recursos Humanos, seja visto como um anexo da empresa. Uma equipe responsável apenas por recrutamentos, onboarding, promoções, desligamentos e treinamentos.

Com as mudanças recentes e as novas formas de trabalho, várias empresas perceberam que esse modelo não funciona mais. As pessoas estão no centro do sucesso de qualquer negócio e, por isso, o time que cuida de pessoas também precisa participar das decisões estratégicas das empresas.

Como essa nova área estratégica funciona na prática?

Em síntese, essa área é a que ajuda a empresa a crescer, utilizando as melhores práticas e ferramentas para alcançar os objetivos do negócio.

Para isso, não basta utilizar os softwares mais modernos do mercado ou copiar as práticas que outras  empresas estejam adotando. É preciso ter uma postura guiada por três bases: alinhamento, integração e investimento.

Alinhamento

O novo RH estratégico, ou seja, essa área de Pessoas e Cultura, deve orientar seu trabalho para objetivos concretos e alinhados com o restante da empresa. Assim, no momento de fazer o planejamento, o time deve se perguntar “como os colaboradores ajudarão a empresa a alcançar seus objetivos?”.

A partir disso, o RH consegue traçar suas ações, com o propósito de melhorar a produtividade, o engajamento e a eficiência da equipe.

Além disso, em um RH estratégico com uma gestão ágil, o objetivo está lá na ponta, na entrega de valor ao cliente. A empresa emprega todos seus recursos para fazer com que esse valor dobre, triplique e até mais. Isso inclui a flexibilidade e ajuste de processos, sistemas, incentivos etc. Nisso, o trabalho do RH se torna vinculado ao que se está agregando de valor ao cliente ou usuário.

Integração

É importante que o RH esteja no centro das decisões estratégicas da empresa. Para discutir como aquilo afeta a equipe e como pode atuar para concretizar os objetivos do negócio.

Equipes ágeis de RH também tomam iniciativas e conversam entre si para solucionar problemas comuns. Diferentemente do RH tradicional que, em grande parte, faz com que os colaboradores estejam mais propensos a somente receber ordens e executar suas tarefas repetidamente.

Além disso, a área estratégica de pessoas ainda precisa conhecer em profundidade todas as áreas e saber quais são as demandas específicas de cada uma. Só assim é possível atuar de forma assertiva para melhorar os resultados na empresa como um todo.

Investimento

Ainda hoje, muitas empresas diminuem a importância do setor. Mas para trazer resultados, a área precisa de recursos. Atualmente, existem muitas tecnologias que ajudam a equipe a automatizar tarefas simples, para focar naquilo que mais importa: as decisões estratégicas.

Ao mesmo tempo, ferramentas como a análise de dados podem facilitar a tomada de decisões e permitem métricas mais apuradas, que auxiliarão no acompanhamento das ações.

Quais as competências esperadas da área de pessoas, de forma estratégica?

 

Interdisciplinaridade

A gestão de pessoas não pode ser uma área fechada em si mesma. É fundamental que tenha capacidade de agregar conhecimentos de diferentes segmentos para avançar nas suas próprias tarefas.

Hoje, análise de dados, employer branding e diferentes metodologias fazem parte do dia a dia das equipes e, por esse motivo, é importante construir uma equipe interdisciplinar, que navegue entre várias áreas.

Capacidade analítica

A tecnologia está disponível, mas sem profissionais capazes de trabalhar com essas ferramentas, elas se tornam pouco úteis. É recomendado desenvolver o pensamento crítico e analítico para extrair o melhor desses sistemas.

Com a análise de dados, por exemplo, o time pode tomar decisões muito mais assertivas, em bem menos tempo. Mas isso exige colaboradores capacitados.

Liderança para inovação

É importante que o RH estratégico esteja disposto a assumir o papel de liderar mudanças dentro da empresa. Como comentamos, o time não pode ser apenas reativo às demandas de outros gestores. É preciso propor soluções e ser um exemplo, para que os outros times se engajem também nessa cultura da inovação.

Aliás, essa área de pessoas e estratégia é extremamente decisiva para a implementação de metodologias ágeis na organização. Isso porque é um setor que está em contato com todos os demais e, além disso, cuida diretamente do recrutamento e gerenciamento de produtividade e desempenho das equipes.

Jim Highsmith, Chief Agile Strategist, traz com bastante ênfase a questão de que a metodologia ágil engloba toda a organização. Há três pontos que costuma falar em suas palestras: agilidade organizacional, fazendo ágil e sendo ágil. Todos eles estão interligados.

Quais as vantagens de um RH estratégico?

O novo RH estratégico pode criar um clima organizacional que mantenha a equipe motivada e produtiva. Além disso, as vantagens para o próprio time incluem:

  • mais produtividade;
  • otimização do tempo;
  • melhora nas contratações;
  • engajamento das pessoas;
  • avanços na implementação da transformação digital;
  • ajuda a integrar novas metodologias e a transformar a cultura organizacional;
  • melhor uso das competências do time.

Tudo isso impacta na empresa, com mais eficiência, redução de custos e melhorias no desenvolvimento de pessoas.

Qual a relação entre RH estratégico e futuro do trabalho?

Você já deve ter ouvido falar que boa parte das funções operacionais de hoje deve ser automatizada, na medida do possível. Mas isso não significa, necessariamente, o fechamento de postos de trabalho.

Desse modo, a expectativa é que essa mudança exija dos profissionais um deslocamento de funções. Com a eliminação de atividades repetitivas e pouco complexas, os colaboradores devem desenvolver novas habilidades e competências relacionadas ao processo de decisão e otimização de processos.

Criatividade, solução de problemas complexos, aprendizagem ativa e inovação, por exemplo, serão habilidades cada vez mais exigidas e se faz necessário acompanhar esse movimento. Não apenas buscando profissionais com esse perfil para os outros times, mas agregando essas competências ao seu próprio setor. Tanto com o desenvolvimento dos seus próprios colaboradores quanto na busca constante por atualização e ferramentas.

O papel do time de gestão de pessoas vem se tornando cada vez mais estratégico dentro das empresas. Dessa maneira, treinamentos, mentorias e workshops podem ajudar nesse processo de atualização e motivação de mudanças na sua equipe.

Caso queira se aprofundar no assunto, confira os diferentes tipos de capacitação que podemos oferecer.