Siga minhas redes

Faltam profissionais de TI? Veja como lidar com o gap de talentos

Inovação

Compartilhe nas redes

profissionais de ti

No momento em que vivemos, a tecnologia permeia todos os aspectos de nossas vidas, transformando a maneira como nos comunicamos, trabalhamos e vivemos. No entanto, essa crescente dependência da tecnologia também trouxe à tona um desafio: o gap de profissionais de TI.

Embora a tecnologia seja uma força impulsionadora da inovação, a escassez de profissionais qualificados para preencher as posições no setor tem se tornado uma barreira significativa para o progresso. Divulgado recentemente, o relatório “Panorama de talentos em tecnologia” do Google trouxe algumas reflexões importantes sobre essa questão.

Neste artigo, vamos explorar o cenário exposto pelo documento, destacando a lacuna educacional existente e discutindo como as empresas podem trabalhar para superar esse desafio. Continue lendo e entenda!

Cenário atual e desafios futuros

A falta de profissionais de TI qualificados é um desafio grande para empresas de todo o mundo. Até 2030, mais de 85 milhões de empregos podem permanecer vagos devido à falta de pessoas qualificadas em todo o mundo. Essa situação não apenas compromete o crescimento econômico, mas também representa um obstáculo para o mercado de trabalho no futuro e para a inovação em diferentes setores.

Segundo um relatório da ESG Research, as novas profissões com maior lacuna de colaboradores nos próximos anos serão:

  • Cibersegurança: 48%
  • Aprendizado de máquina de I.A.: 36%
  • Arquitetura de nuvem/Planejamento: 36%
  • Organização de T.I. Automação: 32%
  • Projeção de dados: 24%
  • Administrador de rede: 21%
  • Desenvolvedor de aplicativos mobile: 19%
  • Administração de armazenamento: 17%
  • Arquitetura de T.I./Planejamento: 34%
  • Analista de dados/Cientista de dados: 30%
  • Aplicação de desenvolvimento/DevOps: 24%
  • Administrador de base de dados: 21%
  • Monitoramento de Compliance: 18%
  • Gerenciamento de mobilidade empresarial: 15%

No Brasil, o cenário é igualmente preocupante. Uma pesquisa da Brasscom revela que apenas 53 mil profissionais serão formados por ano no Brasil entre 2021 e 2025. No entanto, a demanda é de 800 mil novos talentos. Isso resulta em um déficit alarmante de 530 mil profissionais ao longo desse período de quatro anos.

As startups, muitas vezes na vanguarda da inovação, estão particularmente vulneráveis a essa lacuna. De acordo com o relatório do Google, 92% delas acreditam que há uma falta de profissionais de TI no Brasil. Esse déficit não apenas limita seu potencial de crescimento, mas também as coloca em uma competição acirrada com empresas maiores e mais estabelecidas.

Desafios educacionais 

A falta de acesso à educação é um dos principais obstáculos para superar o gap de talentos. Muitos jovens enfrentam barreiras estruturais e não encontram estímulos que os motivem a se especializar em tecnologia. Isso é ainda mais acentuado para aqueles que vivem fora dos principais centros econômicos do país.

Além disso, a falta de profissionais de TI seniores é outra preocupação grave. A evasão de talentos dificulta o desenvolvimento de especialistas e cria uma lacuna na transmissão de conhecimento entre as gerações. Dessa forma, a falta de mentoria e oportunidades de aprendizado afeta tanto os novos talentos quanto o crescimento geral do setor tecnológico.

Diversidade, equidade e inclusão

Outro desafio do mercado de tecnologia está na inclusão de grupos minorizados, como pessoas negras, mulheres e LGBTs. A falta de representatividade cria um ciclo vicioso em que esses grupos sub-representados veem o mercado de tecnologia como inacessível. Além disso, a dificuldade desses grupos de acessarem o mercado de tecnologia diminui ainda mais a quantidade de profissionais qualificados disponíveis.

Mas é importante ter em mente que a diversidade é essencial para impulsionar a inovação. Afinal, diferentes perspectivas geram soluções mais abrangentes e criativas.

Como superar o gap de profissionais de TI?

Diante desses desafios, como as empresas podem contribuir para preencher o gap de talentos e impulsionar a inovação? A resposta abrange várias estratégias.

Investir na capacitação interna

As empresas precisam adotar uma abordagem proativa, investindo na capacitação e desenvolvimento contínuo de seus colaboradores. Além de melhorar as habilidades existentes, esse esforço também cria uma cultura de aprendizado que atrai e retém talentos.

Fomentar uma cultura inclusiva

Promover a diversidade e a inclusão dentro das empresas é essencial. Isso não apenas cria oportunidades para grupos minorizados, mas também enriquece o mercado com perspectivas e ideias inovadoras.

Parcerias com instituições de ensino

As empresas podem estabelecer parcerias estratégicas com instituições de ensino e universidades para desenvolver currículos relevantes e programas de treinamento práticos. Assim é possível alinhar as habilidades dos graduados com as necessidades do mercado.

Programas de treinamento para jovens

Iniciar programas de treinamento para jovens, principalmente de baixa renda, pode incentivar a próxima geração a ingressar na área de tecnologia. Além de ajudar a empresa a colocar em prática seus valores e exercitar sua responsabilidade social. 

Desenvolvimento de habilidades com grande demanda

Acompanhar as tendências e desenvolver seus profissionais em áreas de grande demanda é fundamental para que a empresa acompanhe as evoluções do mercado e continue inovando constantemente. 

Foco nas pessoas: o segredo para a inovação

A inovação tecnológica é alimentada pelas pessoas. Sem profissionais qualificados, as empresas enfrentam barreiras para se adaptar, crescer e superar desafios. A tecnologia é uma ferramenta importante, mas são as pessoas que impulsionam a inovação por meio de suas ideias, habilidades e criatividade.

A jornada para preencher o gap de talentos em tecnologia é complexa, mas é uma jornada relevante. Investindo em educação, as empresas não apenas preparam um futuro mais inovador, mas também contribuem para uma sociedade mais justa e próspera.

O momento é agora – empresas, instituições de ensino, profissionais de TI e sociedade em geral – devem unir forças para criar um ecossistema tecnológico vibrante, diversificado e repleto de talentos. Somente quando as lacunas educacionais forem preenchidas, quando a inclusão for uma realidade e quando as habilidades estiverem alinhadas com as demandas do mercado, poderemos verdadeiramente aproveitar todo o potencial da tecnologia para moldar um futuro melhor.

Se o seu negócio também acredita nisso, que tal conhecer nossa palestra A inovação é feita de gente e promover essa conversa com a sua equipe? Entre em contato e veja como podemos ajudar!

Palestras
Algoritmo da vida
A vida nem sempre segue um padrão lógico e previsível, mas pode ser compreendido e identificado.
CONTRATAR
Cultura organizacional para inovação​
Não basta criar soluções disruptivas sem fomentar um ambiente de trabalho com uma cultura forte.
CONTRATAR
Fluxo da vida e o tempo
A importância de compreender e aceitar o ritmo natural da vida e a relação do tempo com esse fluxo.
CONTRATAR
Futuro do trabalho e inteligência artificial​
As empresas precisam se preparar para as novas formas de trabalho e ampliar a colaboração entre as pessoas.
CONTRATAR
Inovação é feita de gente​
Aborda as habilidades fundamentais e as condições necessárias para promover a inovação com pessoas e não apenas com tecnologia.
CONTRATAR
Liderança ambidestra e exponencial​
Líderes ambidestros inovam de forma permanente, sem abrir mão da eficácia operacional.
CONTRATAR

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo

Conheça meus livros

Artigos relacionados

Fique por dentro!

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo.

Ao preencher o campo acima você concorda com nossa Política de Privacidade.