Siga minhas redes

Employer branding: como a cultura de feedforward pode contribuir

Cultura Organizacional

Compartilhe nas redes

Feedforward

Fazer com que as empresas se tornem atraentes aos candidatos é um dos objetivos do employer branding. As organizações também precisam ser interessantes e demonstrar valores que façam com que as pessoas tenham vontade de trabalhar nela. 

Afinal, o mercado de trabalho se transformou e se antes era só a empresa que buscava o perfil mais interessante, hoje, esse esforço é mútuo. Ou seja, os profissionais também procuram pelo perfil de empresa que mais se adeque aos seus objetivos.

Conforme a pesquisa de marca empregadora 2021, feita pela Randstad com 190.000 pessoas em 34 mercados, incluindo o Brasil, 96% dos entrevistados concordaram que o alinhamento dos valores pessoais com a cultura da empresa é um fator chave para a satisfação no trabalho. Além disso, 50% dos candidatos disseram que não trabalhariam para uma empresa com má reputação – mesmo com um aumento salarial. 

Existem maneiras da empresa trabalhar employer branding. Uma delas é estimular uma cultura de feedforward. Neste texto, você entenderá o que são, qual a relação entre esses dois conceitos e como implementar essa cultura.

O que é employer branding?

Employer branding (EB) é um conjunto de ações praticadas entre e para colaboradores de empresas a fim de que a organização seja reconhecida como um bom local de trabalho. 

Em português, employer branding significa “marca empregadora”. Assim, as ações de employer giram em torno das pessoas colaboradoras e de como suas expectativas podem ser atendidas pela empresa.

Por que trabalhar employer branding nas empresas? 

O objetivo do employer branding vai além da contribuição com o clima organizacional e melhoria no desempenho de atividades advindas da felicidade no ambiente de trabalho

Ele também serve para consolidar a boa reputação da marca enquanto empregadora no mercado e abre portas para que cada vez mais profissionais capacitados procurem essa empresa para trabalhar. 

Aliás, é importante analisarmos que, embora o investimento em EB seja, sobretudo, interno, ele se expande “para além dos muros” da própria organização. 

Isso porque, assim como clientes satisfeitos com suas experiências que recomendam uma marca para outras pessoas, colaboradores felizes também propagam isso no mercado de trabalho. Aliás, colaboradores e colaboradoras infelizes também o fazem, daí a importância de não negligenciar esse aspecto na sua empresa. 
Ainda conforme a pesquisa da marca empregadora, o obstáculo nº1 para profissionais no processo de candidatura é não saber como é trabalhar em uma organização. Destaque para o “como”. 

O dado acima nos faz pensar ser provável que muitos candidatos procuram a opinião das pessoas que já trabalharam em determinada empresa antes de aceitar propostas. Inclusive, existem sites que já oferecem esse tipo de informação

Assim, uma das atitudes que podem ser adotadas para trabalhar employer branding no seu negócio é a cultura de feedforward. 

E o que é cultura de feedforward?

O termo feedforward significa “olhar para frente” e foi desenvolvido por Marshall Goldsmith, autor do livro “Feedforward”. Esse olhar para frente se refere ao futuro, a um olhar adiante.

No ambiente de trabalho, a cultura feedforward se alinha ao desejo dos colaboradores de serem reconhecidos, de crescerem na carreira e à contribuição que as lideranças podem dar para que isso ocorra. 

Em resumo, o feedforward propõe uma avaliação sobre quais comportamentos e habilidades podem ser potencializados ou desenvolvidos para futuras ações do colaborador na empresa. 

Qual é a diferença entre feedback e feedforward?

Ao contrário do que você talvez tenha pensado, a cultura de feedforward não é o mesmo que cultura de feedback

Inclusive, a diferença entre as palavras pode ser percebida na tradução. Se feedforward, em português, quer dizer “olhar para frente”, feedback significa “olhar para trás”. 

No ambiente corporativo, a troca de feedbacks ajuda colaboradores e lideranças a destacarem pontos positivos e de melhorias em suas atuações. 

Porém, o feedback ajuda a pessoa colaboradora a entender atividades e atitudes passadas e o que pode ser evitado ou repetido no futuro a partir dessa visão do que já aconteceu. Ou seja, é uma prática que analisa o que passou, para aí, sim, pensar em próximos passos.  

Já o feedforward busca o que ainda será. Ou seja, de que forma as pessoas podem olhar para o presente e já identificar o que pode ser potencializado? 

Líderes do futuro poderão ter mais facilidade com a cultura de feedforward, por exemplo. 

Isso porque pessoas com esse perfil investem no desenvolvimento de soft e hard skills da equipe e encorajam a troca de conhecimento e percepções entre as pessoas. 

Na prática, a cultura de feedforward pode ser exercida de maneira muito semelhante a da cultura de feedback. No entanto, lembre-se que a linguagem e a intenção utilizadas mudam. 

Exemplo de feedback: 

Camila, percebi que você estava muito desatenta na apresentação do relatório mensal e se atrapalhou na leitura de dados e estatísticas com o cliente. Isso pode passar uma impressão de falta de autoridade e preparo. 

Exemplo de feedforward: 

Camila, para a próxima apresentação de relatório mensal, você pode aprender mais sobre análise de dados e alinhar isso com as expectativas do cliente. Esse tipo de demonstração contribuirá com o engajamento de todos.

Quais dos depoimentos você acha que fez Camila se sentir mais motivada? A relação entre employer branding e cultura feedforward também se mostra na busca por satisfação e sucesso nas atividades desenvolvidas na organização.

Como o feedforward contribui com o employer branding?

Novamente de acordo com a pesquisa da marca empregadora, 77% dos funcionários das empresas no Brasil buscam desenvolvimento de carreira. 

Portanto, quando falamos de employer branding e feedforward, estamos falando do que eles esperam encontrar na empresa (possibilidade de crescimento sendo um dos pontos) e de como eles poderão encontrar respaldo para crescer (aspecto que envolve ações das lideranças). 

Por fim, os conceitos acabam se relacionando porque um contribui com o outro. Aliás, o feedforward traz vantagens que ultrapassam os objetivos do employer.

Como implementar uma cultura de feedforward? 

Para implementar uma cultura de feedforward na empresa, as lideranças podem adotar algumas posturas, como: 

  • mapear as competências que precisam ser desenvolvidas ou potencializadas nas pessoas da equipe. 
  • estimular o autoconhecimento entre os membros do time. Quanto mais uma pessoa se conhece, mais fácil é para que ela também saiba o que deseja profissionalmente do próprio futuro. 
  • incentivar a capacitação técnica e comportamental da equipe. 
  • quando identificar mudanças positivas, reconheça. Faça com que a pessoa colaboradora saiba que está avançando. 
  • identificar oportunidades para enviar feedforwards específicos. Haverá uma reunião importante na semana que vem? Envie uma mensagem para o colaborador envolvido que você sabe que tem uma chance de se destacar ou de melhorar algum comportamento anterior. 

Gostou do conteúdo? Aproveite para ler outros textos do blog. E se perceber que trabalhar as competências da equipe é um desafio mais complexo do que imaginava, não hesite em pedir ajuda especializada, conheça nossa lista de workshops in company

 

Palestras
Algoritmo da vida
A vida nem sempre segue um padrão lógico e previsível, mas pode ser compreendido e identificado.
CONTRATAR
Cultura organizacional para inovação​
Não basta criar soluções disruptivas sem fomentar um ambiente de trabalho com uma cultura forte.
CONTRATAR
Fluxo da vida e o tempo
A importância de compreender e aceitar o ritmo natural da vida e a relação do tempo com esse fluxo.
CONTRATAR
Futuro do trabalho e inteligência artificial​
As empresas precisam se preparar para as novas formas de trabalho e ampliar a colaboração entre as pessoas.
CONTRATAR
Inovação é feita de gente​
Aborda as habilidades fundamentais e as condições necessárias para promover a inovação com pessoas e não apenas com tecnologia.
CONTRATAR
Liderança ambidestra e exponencial​
Líderes ambidestros inovam de forma permanente, sem abrir mão da eficácia operacional.
CONTRATAR

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo

Conheça meus livros

Artigos relacionados

Fique por dentro!

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo.

Ao preencher o campo acima você concorda com nossa Política de Privacidade.