Posts

Liderança ágil Protagonismo

Liderança ágil: como incentivar o protagonismo do colaborador trabalhando de qualquer lugar

O mundo do trabalho está mudando rapidamente e, com isso, precisamos lidar com desafios, assim como prevê-los. O trabalho remoto é uma das transformações mais significativas que vivenciamos nos últimos tempos.

Para grande parte das empresas e seus funcionários, qualquer lugar pode se tornar um escritório: tendo os equipamentos, conexão com internet e concentração necessários, o trabalho presencial passou a ser uma opção, não mais uma regra. Nesse contexto, uma liderança ágil é essencial para manter sinergia entre empresa, gestores e liderados.

De acordo com uma pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), 80% dos gestores das empresas brasileiras aprovam o regime de trabalho remoto. Independente da empresa adotar um modelo híbrido ou totalmente remoto, esse é um número bastante relevante e não pode ser ignorado. 

Entretanto, não significa que não existam desafios! Muito pelo contrário. Atualizar-se para manter os colaboradores protagonistas de suas atividades, motivados e o time unido, requer estratégias específicas para atuar em um contexto incerto.  

Vantagens do trabalho remoto

Sempre será desafiador atualizar-se e acompanhar as mudanças que o dia a dia do trabalho exige. E com a aceitação do trabalho remoto cada vez maior, bons líderes precisam olhar com atenção para todos esses movimentos e como eles afetam seus negócios. 

Você sabia que, segundo um artigo publicado na revista americana Fast Company, desde o início de 2020, quase 40% dos moradores de grandes cidades já consideraram se mudar em busca de lugares que ofereçam melhor qualidade de vida? Isso significa nas entrelinhas que nem todo mundo mais está disposto a voltar para grandes metrópoles e seus escritórios, antes fixos, para manter seus empregos. 

Toda a flexibilidade que "trabalhar em qualquer lugar" oferece, pode ser vista como benéfica para o futuro do trabalho. Sem a necessidade de arcar com manutenção de escritórios e grandes locais que comportam todo o time, por exemplo, a empresa pode realocar tais investimentos em outras prioridades. 

Assim sendo, inovação é a palavra de ordem para beneficiar seu negócio. Isso não significa apenas investir em tecnologias que acompanhem o crescimento da sua empresa. Claro, é uma parte bastante necessária, mas para manter o time inovando, é importante investir no desenvolvimento de seus profissionais.

Importância de manter o time motivado

Os gestores sempre tiveram a responsabilidade de cuidar. Além disso, devem gerenciar as tarefas a serem entregues para o negócio seguir rodando e fazer a gestão de seus colaboradores. Tal necessidade é ainda mais latente quando falamos no trabalho do futuro. A principal responsabilidade do líder passa a ser a gestão de pessoas, compreendendo a melhor maneira de mantê-las motivadas e engajadas com o trabalho. 

Com a distância física do time, um bom líder deve encorajar a cultura da "autoliderança”. Isso significa que todos os funcionários estão alinhados sobre as suas principais responsabilidades, eles buscarão se desenvolver com o time e ser eficazes.

Além disso, com o exemplo do líder investindo em tempo de conhecimento para si mesmo, o time tende a sentir-se estimulado a também fazer o mesmo, desenvolvendo protagonismo de suas carreiras. Como isso, depende única e exclusivamente de cada um, quando o colaborador encontra no líder um exemplo e estímulo da empresa a se tornar protagonista de suas expectativas no trabalho, todos saem ganhando. 

E você sabia que esse é um dos pilares que a Gestão Ágil pressupõe para o trabalho? Responder rapidamente a mudanças e ainda assim seguir um plano lógico coerente para todos os envolvidos desde gestores à liderados — está entre um dos valores de uma liderança ágil. Além disso, a motivação, organização, funcionalidade e diversas outras habilidades que fazem parte do trabalho do futuro. 

No caso da motivação, o princípio diz o seguinte: “Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê a eles o ambiente e o suporte necessários e confie que eles farão seu trabalho.” 

Clique aqui e veja um infográfico sobre Agilidade e Inovação na Liderança. 

Como incentivar o protagonismo dos colaboradores

Conheça sua equipe. Esqueça aquela ideia de que a pessoa é uma dentro do horário do trabalho e outra fora dela. É crucial que o líder permita que sua equipe se sinta responsável pelas suas ações, compreenda as necessidades e diferenças de cada um e normalize a vulnerabilidade. Nem todos os dias o profissional estará no seu melhor momento e isso também precisa ser previsto. O importante é confiar que o time será capaz de desempenhar tudo o que lhes foi atribuído. 

Separar espaços para escuta, conversas e feedbacks também é mais uma forma de conhecer seu time e, consequentemente, mantê-lo motivado. Esse encurtamento entre certas diferenças hierárquicas permitem que os colaboradores compartilhem o que acham e necessitam no dia a dia do trabalho. 

Além de promover essa aproximação, são em momentos assim onde certas habilidades e limitações dos colaboradores aparecem com mais evidência. Facilitando, dessa forma, que o líder saiba onde melhor alocar cada talento. Por isso: 

  • Estimule a comunicação aberta, clara e síncrona entre o time; 
  • Incentive, da maneira que for possível para a empresa naquele momento, que seus colaboradores sigam se atualizando a respeito de suas áreas de atuação; 
  • Mantenha espaços de descontração, mesmo a distância, isso pode auxiliar inclusive na criatividade do time em inovar
  • Sempre esteja aberto para receber feedbacks e lembre de repassá-los também. Criar essa cultura entre o time é essencial para a saúde do dia a dia de trabalho. 

Gostou do assunto? Você pode se aprofundar ainda mais em todas essas questões conhecendo o curso “Curso Inovação e Liderança”. Basta clicar aqui para conhecer! Entre em contato conosco, caso preferir. 

 

Trabalho Remoto

Tecnologia como suporte ao trabalho remoto

Passado mais de um ano desde o início da pandemia causada pela COVID-19, o momento de adaptação ao trabalho remoto vem sendo vencido pela grande maioria das empresas. É interessante notar que, para cada organização, a adaptação se deu de uma forma diferente, levando em conta o seguinte: o que mais funciona para minha equipe? 

O Facebook, por exemplo, anunciou que deixaria que seus funcionários trabalhassem de casa para sempre, a depender da aprovação de cada gerente de área responsável. Já a Apple, anunciou que adotará o modelo híbrido, exigindo que seus funcionários trabalhem no escritório três vezes na semana.

O Nubank foi uma das primeiras empresas brasileiras a adotar o trabalho remoto como medida para garantir a segurança dos colaboradores. A fintech tem funcionários, distribuídos em escritórios em São Paulo, Berlim, Cidade do México e Buenos Aires, atuando em esquema home office desde 12 de março, um dia após a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar pandemia global pelo novo coronavírus. 

Para enfrentar o desafio de manter a colaboração viva em tempos de distanciamento, a empresa investiu no fortalecimento da cultura organizacional mesmo com seus colaboradores trabalhando de casa. O que inclui desde garantir a estrutura necessária para trabalhar de casa (como computadores, cadeiras e monitores), até o suporte emocional para passar por esse momento. Além disso, a empresa manteve um canal aberto com todos os Nubankers, onde informações são compartilhadas e qualquer um pode enviar comentários, sugestões e perguntas.

A XP Investimentos ampliou a prática de home office e estuda implementar o trabalho remoto de forma permanente. O sócio e responsável pela área de Gente & Gestão da XP, Guilherme Sant'Anna, garante que, após o fim da quarentena, o funcionário poderá escolher se trabalha de casa ou se vai para o escritório. 

Isso demonstra que não existe fórmula melhor ou pior, o que existem são tecnologias capazes de facilitar esse dia-a-dia e tais decisões. E é sobre isso que falaremos nesse artigo.

Otimizando o trabalho remoto

Primeiramente, uma organização que deseja ser líder no que se propõe a fazer, precisa estar pronta para se reinventar e transformar-se digitalmente. Realocando, inclusive, recursos, capital e talentos para que essa transformação seja ainda mais efetiva. 

O trabalho remoto pode melhorar a administração do tempo por sua dinamicidade, fazendo com que certas atividades sejam feitas com muito mais rapidez e de maneira eficiente. Atualmente, são inúmeras as soluções disponíveis para organizar processos, agendar reuniões, promover cursos online, plataformas para trocas de conhecimento e networking, entre outras.

Todas essas tecnologias permitem com que gestores e time estejam em sintonia, podendo otimizar resultados, objetivos e andamento de projetos:

  1. Busque por ferramentas ou métodos que indiquem os resultados das atividades realizadas pela sua equipe, assim é possível manter o foco na meta do negócio. E isso serve para todos os setores do time, seja tecnologia, vendas, marketing. Ter ciência dos resultados concretos é essencial — os OKRs e a metodologia de Scrum são um bom exemplo de metodologias inovadoras para aplicar na rotina da organização!
  2. Aproveite as ferramentas de automação de postagens em blogs e redes sociais e organize as metas semanais para você e sua equipe. Algumas redes sociais, possuem inclusive plataformas próprias para programar posts, otimizando tempo para manutenção do conteúdo que precisa ser postado.
  3. Ferramentas como o Trello, Miro, Notion, Canvas —  e agora, até o Google, vêm evoluindo cada vez mais suas plataformas para deixar tudo ainda mais intuitivo, facilitando o trabalho da equipe à distância.
  4. Para que os novos colaboradores se sintam parte do time, existem ótimas ferramentas para otimizar o onboarding de forma online — para casos de novos colaboradores, existem também plataformas excelentes de recrutamento.
  5. Além, claro, das vídeo chamadas e encontros online. Zoom, Loom, Google Meet, Streamyard. Todas são plataformas com planos gratuitos e pagos que se adaptam às necessidades do dia-a-dia de cada equipe. 

Ferramentas assim, são de extrema importância para auxiliar no trabalho remoto, porque elas se tornam a base da comunicação. É preciso adaptar-se a esse "escritório virtual" e manter o time conectado e comunicativo. E no caso de a empresa adotar um novo modelo de trabalho ou ferramenta, proporcionar aulas, tutoriais e treinamentos para que todos estejam alinhados.

Atenção com a saúde emocional do time 

O futurologista britânico Ian Pearson, em estudos, afirmou que quanto mais crescente a automação, mais as empresas precisarão priorizar inteligência emocional e relacionamento. No momento em que vivemos, a afirmação fica ainda mais evidente. Times que trabalham com sinergia, são aqueles que possuem motivação e confiança uns nos outros para trabalhar diariamente, inclusive à distância. 

Por isso, é necessário utilizar as tecnologias a favor da empresa também nesse aspecto. Os momentos de descompressão do trabalho presencial — sabe, a hora do cafezinho? — eles fazem falta sim. 

Precisa-se criar o hábito e ter o cuidado de criar tais momentos, separar espaço na agenda para que eles aconteçam. Isso demonstra que a empresa possui gestores disponíveis a conversar sobre a vida pessoal e problemas dos colaboradores. Normalizando, assim, a vulnerabilidade. 

É importante também, manter sempre uma comunicação clara e direta. Pode-se, por exemplo, separar os locais de conversa para demandas urgentes daquelas que podem esperar. Isso pode evitar ansiedade e o sentimento de que os colaboradores estão disponíveis o tempo todo para a empresa. 

Ou também, utilizar plataformas de videoconferências diferentes para reuniões de trabalho e momentos de bate-papo ou happy hour. 

Ainda existem muitas possibilidades para que as empresas  encontrem seus métodos ideais de trabalho remoto. Mas adotar tecnologias que contribuem para melhorar o desempenho e felicidade da equipe já é um primeiro passo para se adaptar ao contexto atual complexo. 

Trabalho Remoto

Como aumentar a confiança entre times em trabalho remoto?

Manter a motivação e aumentar a confiança entre o time em tempos de home office é um dos grandes desafios da gestão de organizações no atual momento. À medida que os times migram cada vez mais para o modelo virtual — ou híbrido — percebe-se nuances e diferenças entre a comunicação e construção de confiança entre equipes presenciais e não presenciais.

Isso porque, no ambiente de trabalho presencial existem formas mais orgânicas e que exigem menos esforço para manter o engajamento e comunicação sem ruídos. Ainda assim, antes mesmo do trabalho remoto se tornar uma exigência devido à pandemia, a questão da confiança no ambiente de trabalho permeia o dia a dia de qualquer organização.

Quando falamos de confiança em ambiente organizacional, enfrenta-se certos obstáculos, justamente porque nem sempre criou-se a cultura de conhecer tão bem a todos com quem compartilhamos o trabalho. Além disso, nem sempre a comunicação entre todos os colaboradores é fluida. Nesse caso, como estender o processo da confiança, portanto, quando os grupos estão à distância?

O que significa confiança?

Podemos afirmar que  confiança é possuir credibilidade ou se ter conceito positivo a respeito de alguém ou de algo; Confiança é crédito, segurança, crença de que algo é de qualidade.

E existem também diversas outras definições para o que é confiança. Dentre muitas, uma delas, explica que confiança é um sentimento que se verticaliza com a prática. Se solidifica com a constância e se constrói a partir de relacionamentos. Nesse caso, o tempo é um fator determinante. Mostrando-se necessário, inclusive, a qualidade com que é utilizado esse tempo.

Pensando no mundo corporativo, não existe relação sustentável entre líder, liderados e equipe, a longo prazo, se ela não estiver sobre a base sólida da confiança. A confiança no ambiente de trabalho torna-se, portanto, um valor de negócio para as organizações.

Afinal, não só de estratégia, investimento e tecnologia vive uma empresa. E não existe trabalho em equipe sólido e funcional se não há confiança. Quando a confiança é alta, a velocidade é maior e o custo é menor.

Como construir um ambiente de trabalho onde a confiança esteja presente?

É necessário, para aumentar a confiança em uma organização, partir de uma premissa de que nada é óbvio. Quando o emissor — seja ele quem for, líder ou liderado —  parte da ideia de que óbvio existe, as chances de ocorrerem problemas de compreensão, falha na comunicação e falta de escuta são enormes.

Para tanto, é fundamental adotar alguns princípios para crescimento da confiança:

  1. Mantenha a clareza na comunicação: uma comunicação fluida é essencial para o processo da confiança. O ideal é criar métodos em que fique claro a todos do time o que precisa ser feito e de quem é cada responsabilidade.
  2. Deixe claro qual a intenção: seja em uma reunião, seja com uma demanda, quanto mais clara estiver a intenção, menos a chance de haver ruídos entre todos os envolvidos. Evitando, assim, que desentendimentos aconteçam.
  3. Cumpra as promessas: e caso não possa cumpri-la, avise com antecedência. Isso evita desconfortos e expectativas que podem impactar negativamente, se deixadas de lado.
  4. Busque a comunicação não violenta: isso garante que a pessoa com a qual o líder está se comunicando sinta que há empatia no que é dito ou solicitado. É importante lembrar que, nem sempre as pessoas estão em um bom dia, e isso precisa ser compreendido e levado em consideração.
  5. Normalize a vulnerabilidade: muitas vezes a falta de confiança mora no medo de compartilhar a vulnerabilidade. Em geral, passamos a confiar nas pessoas quando percebemos que existem vínculos que nos aproximam.

Aumentar a confiança é ocupar-se do outro

O cenário pandêmico surgiu sem aviso e acelerou a necessidade de adaptar-se à nova realidade. Foi preciso construir a confiança com a necessidade de se trabalhar à distância, dando a oportunidade de se conhecer de fato quem são e como agem os colaboradores e colegas de uma equipe.

A postura adequada para isso é ocupar-se do outro de verdade. Ouvir o que o outro tem a dizer e mostrar-se disponível. Se antes, em um bate-papo presencial era mais fácil puxar a atenção de alguém, perceber pequenos detalhes de atitude ou conduta, agora, virtualmente, é a boa escuta uma das  partes mais poderosas de uma comunicação.

Para isso, é preciso abrir espaço na agenda para que se possa construir tais relações que, em curto prazo, estimulem cada vez mais confiança. De acordo com Ricardo Vandré, as organizações precisam ser espaços de cura, onde momentos de escuta devem ser institucionalizados.

E eles não acontecem nesses momentos orgânicos do cafezinho, happy hour, encontros semanais da equipe toda — seja ele presencial ou remoto. Momento de escuta significa ter espaço na agenda reservado para procurar conhecer melhor líder, liderado e time e verticalizar a confiança. Assim, a instituição demonstra que a escuta é um hábito que permeia todos os seus  integrantes.

Para refletir sobre como a confiança é um importante pilar para o sucesso de uma organização, confira o Webinar: Confiança em times em trabalho remoto em que conversei com o educador corporativo e palestrante, Ricardo Vandré e deixem seus comentários.