Posts

Índice de Felicidade no trabalho: é possível medir? Confira dicas!

A felicidade é um fator extremamente importante para nosso bem-estar. Tanto é que empresas ao redor do mundo têm despertado sua atenção para o chamado índice de felicidade no trabalho.

E o motivo disso é bastante claro. Afinal de contas, os colaboradores são o maior patrimônio de uma organização e a felicidade deles no ambiente corporativo tem um impacto profundo na produtividade e lucratividade do negócio.

O resultado disso é que muitas empresas buscam realizar uma autoavaliação crítica periódica, com foco não apenas no seu público, mas também em seus colaboradores.

É por isso que o índice de felicidade no trabalho tem se tornado uma métrica tão importante para empreendedores, gestores e todo o setor de RH.

O que é o índice de felicidade no trabalho

O índice de felicidade no trabalho (IFT) é uma métrica que permite que as empresas possam medir a satisfação de seus colaboradores com sua vida profissional e ambiente organizacional.

A medição do índice é importante pois está diretamente relacionada ao desempenho e produtividade das equipes e também ao employer branding das organizações.

Um exemplo dessa importância e popularidade é que o índice de felicidade no trabalho é um dos fatores considerados na pesquisa As 150 Melhores Empresas para Trabalhar do Guia Você S/A.

Neste caso, o índice de felicidade no trabalho considera dois fatores:

  • A percepção dos colaboradores em relação a organização;
  • A avaliação das políticas e práticas do setor de Recursos Humanos.

A revista Você S/A e a Fundação Instituto de Administração (FIA) consideram o índice de felicidade no trabalho em sua pesquisa, justamente por esse fator ser uma das principais razões de:

  • Bom nível de engajamento;
  • Fit cultural;
  • Satisfação dos colaboradores;
  • Resultados positivos nos negócios.

Mas como medir o índice de felicidade no trabalho?

O índice de felicidade no trabalho não é uma ciência exata e, justamente por isso, não possui uma fórmula definida.

O que podemos fazer é buscar em empresas que já adotam esse índice uma referência, mas ter em mente que é preciso adaptar a forma de medir o índice de felicidade à realidade da nossa organização.

Uma das formas adotadas por empresas para medir o índice de felicidade no trabalho segue os passos abaixo:

  1. Escolher um modelo de pesquisa interna conforme objetivos e perfil dos profissionais (perguntas abertas, NPS, múltipla escolha, etc…)
  1. Definir os critérios que serão avaliados durante a pesquisa:
    • Comunicação interna;
    • Reconhecimento;
    • Benefícios;
    • Autonomia, entre outros.
  1. Analisar e interpretar os dados da pesquisa.

Uma boa opção neste caso é contar com uma solução de pesquisas e análises digitais para RH. Essas ferramentas costumam oferecer pesquisas automatizadas e ainda apresentar relatórios inteligentes.

Com isso, você garante mais agilidade em sua pesquisa e maior precisão nos resultados.

Como melhorar o índice de felicidade no trabalho?

A felicidade no trabalho é uma combinação de diversos fatores que podem ter influências diretas das decisões de superiores.

Mas mesmo que você não seja um decisor, pode contribuir com a melhoria desse índice, se atentando a determinados acontecimentos e promovendo ações que geram resultados positivos entre os colaboradores.

Confira alguns exemplos do que pode ser feito para que o índice de felicidade no trabalho melhore em sua organização:

  • Cuide da felicidade do colaborador desde o início de sua jornada na empresa, ou seja, desde o processo de seleção;
  • Busque dar autonomia aos colaboradores e reforce programas que incentivem essa postura;
  • Estabeleça programas e iniciativas de reconhecimento, isso é fundamental para incentivar maior participação e integração dos colaboradores;
  • Tenha um plano de carreiras claro e o promova programas de desenvolvimento e capacitação entre os colaboradores;
  • Insira os colaboradores na cultura da empresa e encontre neles os ajustes e inspirações que possam guiar os rumos da organização;
  • Ofereça um ambiente de trabalho confortável e que disponha das ferramentas ideais para a execução das atividades;
  • Utilize os dados encontrados em seu índice de felicidade no trabalho para propor melhorias, ajustes e ampliar as ações que tem trazido os melhores resultados.

Mesmo com todos os questionamentos e métodos de análises apresentados, é importante lembrar que mais importante que fórmulas, estatísticas e índices, a felicidade é algo subjetivo.

Por isso, além das métricas é importante perceber o outro. Afinal de contas, atitudes do dia a dia dizem muito sobre as pessoas e no ambiente de trabalho isso não é diferente.

Avalie como a sua equipe tem se comportado no dia a dia e de que forma reage a determinados acontecimentos. Pequenas atitudes dos colaboradores e também dos gestores podem dizer muito sobre o índice de felicidade em uma empresa.

Mas e você, saberia dizer como está o índice de felicidade na sua organização? E o seu  índice de felicidade no trabalho? Está positivo ou negativo?