Posts

Depressão no trabalho: é problema da empresa sim! Como lidar com colaboradores nesta situação

Antes ignorada, a  depressão no trabalho está deixando de ser um assunto tratado como inconveniente e agora passa a ser pauta de empresas com forte política de responsabilidade em relação aos seus colaboradores.

E essa preocupação por parte de algumas empresas não é por acaso. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), até 2020 a depressão ocupará o 2º lugar nas principais causas de incapacidade para o trabalho em todo o mundo. Hoje, estima-se que 121 milhões de pessoas têm depressão, sendo que 17 milhões estão no Brasil.

Mas, de que forma uma organização deve lidar com a depressão no trabalho?  Confira no artigo qual o papel das empresas nestes casos, como auxiliar o colaborador deprimido e de que forma é possível promover ações para reverter casos da doença.

Depressão no trabalho: qual o papel da organização

É preciso deixar claro que as organizações possuem um papel fundamental na identificação e no suporte ao colaborador em depressão no trabalho.  E para que esse papel seja cumprindo é necessária uma presença ativa da área de pessoas ou RH.

Os profissionais dessa área devem ter uma formação que os prepare para, além de valorizar os profissionais, avaliá-los constantemente.  Com isso, o RH conseguirá entender e identificar o que se passa com determinado colaborador e conseguir tomar as melhores decisões para ajudá-lo.

A saúde mental é um cuidado fundamental que as organizações precisam ter com seus funcionários e precisa ser tratada como um benefício para a organização. Isso pode ser afirmado pois, um colaborador com saúde mental é mais engajado, produtivo e tende a ficar mais tempo na empresa.

No entanto, esses não devem, de forma alguma, serem os principais motivos dos cuidados da empresa com o colaborador. Deve-se sempre pensar em uma cultura humanizada, que reconhece e valoriza o profissional por trás do crachá.

E qual o papel dos gestores?

O setor de RH é fundamental na identificação e acompanhamento do colaborador em depressão no trabalho. Mas isso não deve ser delegado apenas a essa área. Os gestores também são peças fundamentais em todo o processo pois estão próximos e lidam diretamente com os funcionários.

São os líderes, gestores e os colegas que, geralmente, percebem as mudanças no comportamento das pessoas em seu entorno e devem recorrer ao RH para saber como lidar com esse tipo de situação. Aqui, o RH cumpre outro papel importante neste processo: o de capacitar esses gestores para dar o suporte adequado aos funcionários em depressão no trabalho. Essa capacitação pode ser feita por:

  • Treinamentos específicos;
  • Conversas e orientações no dia a dia;
  • Informações sobre saúde mental, entre outros.

Os custos da depressão no trabalho

Além de ser um gravíssimo caso de saúde, a depressão no trabalho também causa efeitos negativos na economia. De acordo com um estudo realizado pela London School of Economics em 2016, os prejuízos em produtividade causados pela depressão chegaram a 246 bilhões de dólares em todo o mundo. Esse prejuízo é anual.

O Brasil ocupa o segundo lugar nessa lista de prejuízos, chegando a  63,3 bilhões de dólares/ano e ficando atrás apenas dos Estados Unidos, com perda de 84,7 bilhões de dólares/ano. E é por isso que algumas organizações já perceberam que a prevenção é o melhor caminho para evitar esse dano, seja financeiro ou emocional.

Como identificar um colaborador com depressão

As mudanças comportamentais, seja a curto, médio ou longo prazo, são os principais sintomas de depressão no trabalho. Uma boa forma de acompanhar essas mudanças é através de uma avaliação de desempenho, já que a produtividade do colaborador é afetada em quadros depressivos.

Além disso, outros sintomas que podem ser percebidos no dia a dia são fundamentais para a identificação da depressão no trabalho. São eles:

  • Fadiga, causada principalmente por distúrbios do sono;
  • Mudança de humor;
  • Oscilações de sentimentos: culpa e baixa autoestima;
  • Picos de alegria/euforia;
  • Insatisfação constante;
  • Indecisão;
  • Introspecção;
  • Distúrbios de apetite;
  • Dificuldades de concentração;
  • Perda de interesse por atividades que até então lhe eram atrativas, entre outros.

Como ajudar um colaborador com depressão

Organizações com uma cultura focada na humanização dos funcionários já entenderam a importância de conhecer mais sobre a depressão e as formas de tratamento para que possam ajudar os colaboradores a lidar melhor com a doença.

Ao identificar a depressão no trabalho, cabe à organização oferecer um ambiente de trabalho saudável e acolhedor. E isso pode ser feito através de:

  • Programas de Qualidade de Vida;
  • Incentivo a prática de atividades físicas;
  • Ferramentas de gestão que oferecem um canal aberto e confiável ao colaborador;
  • Acompanhamento de psicólogos e psiquiatras, entre outros.

De todas essas ações, incentivar e, se possível, oferecer um acompanhamento profissional ao colaborador com quadro de depressão é a mais importante. A depressão é uma doença, e pode ter consequências gravíssimas para o paciente quando não tratada corretamente.

O que fazer para prevenir a depressão no trabalho

O nosso local de trabalho é onde passamos a maior parte do nosso dia, e a nossa convivência com colegas é, em alguns casos, mais constante do que com nossa própria família. É por isso que as organizações podem e devem ter um papel importante na prevenção da depressão no trabalho.

Isso pode ser feito através de programas especiais ou ações simples, como:

  • Oferecer um local de trabalho seguro: livre de assédios, comportamentos tóxicos e com estrutura adequada;
  • Oferecer uma rotina de trabalho flexível: programas de bem-estar e a possibilidade de realizar home office ou ter um horário flexível são fatores que influenciam diretamente na saúde mental do trabalhador;
  • Oferecer auxílio especializado aos profissionais com depressão no trabalho: é de extrema importância dar suporte a esses colaboradores e também demonstrar aos demais que a empresa é presente e se preocupa com seus funcionários;
  • Oferecer um salário compatível com a atividade realizada e benefícios que, de fato acrescentem valor aos colaboradores; entre outros.

Cada empresa possui a sua realidade e a sua cultura. Que podem e devem ser moldadas conforme as necessidades dos colaboradores.

É cada vez mais real a importância de se humanizar as relações de trabalho e tratar com respeito e empatia todos aqueles que colaboram para o desenvolvimento da empresa.

E a sua organização? Como tem lidado com a depressão no trabalho?