Posts

O Design para o Social: uma proposta de valor que provoca mudanças

Semana passada, estive em uma atividade extremamente gratificante, coordenada pela minha parceira Guta Orofino e Ana Maria Warken do Vale Pereira em conjunto com a ONG Instituto Voluntários em Ação para a Fundação Telefônica.

Foi um dia de muita discussão e ação sobre o combate ao trabalho infantil no Brasil. Sou pai e sinto o quanto é importante  mantermos as crianças como crianças, pois gostam de buscar o novo, descobrir o belo, brincar, aprender a conviver, se sentirem acolhidos e amados. É de responsabilidade de todos na sociedade combatermos este mal!

As atividade foram divididas em duas partes:

→ Parte da manhã com o Seminário A SOCIEDADE EM REDE E O COMBATE AO TRABALHO INFANTIL, foi dividos em dois painéis:

Painel 1Cenário atual do TI e os desafios da sociedade brasileira para combatê-lo, com a presença de:

    • Antônio Carlos Valente – Presidente da Telefônica/Vivo Brasil
    • Miriam Leitão – Jornalista da área econômica e de negócios
    • Graça Gadelha – Socióloga, especialista na área da infância e juventude
    • Maria Gabriella Bighetti  – Diretora de programas da Fundação Telefônica Brasil

Painel 2 – Como se mobiliza a sociedade? com a presença de:

    • Giany Povoa – Secretaria de Cidadania e Desenvolvimento Social do Município de Várzea Paulista – SP
    • Bruno Ayres – Co-fundador e CEO da V2V.net e membro do conselho do Centro Ruth Cardoso
    • Mauricio Cunha – Diretor de Programas da Visão Mundial
    • Priscila Santos e Marcelo MinRevista Galileu
    • Vinicius Vanotti – Escola de Bambu
    • Representante do WWF/Greenpeace
    • Samantha Shirayashy e Fu Kei Lin – Ceats

→ Parte da tarde com o Workshop sobre estratégias de mobilização e engajamento social que utiliza a metodologia de design thinking (se você ainda não conhece esta dinâmica leia mais aqui) com o objetivo de gerar ideias possíveis para o combate ao trabalho infantil.

Foi apresentado a dinâmica e etapas a serem cumpridas, utilizando um tema, uma palavra, que despertasse nos participantes, todos os sentimentos, idéias, lembranças e que todos pudessem externalizar, colaborando de forma muito intensa. Meu trabalho foi de facilitar este processo de colaboração (este é o trabalho do design thinker, ajudando outras pessoas a colaborar o máximo possível, para um bem comum, de grande importância, de alto impacto em nossa sociedade.

A palavra utilizada como tema foi DIVERSÃO. A partir daí deu-se inicio a etapa de divergência. Todos os participantes começaram a escrever em post-its tudo o que esta palavra significava.

A dinâmica é de colaboração extrema, mas muitas vezes, como já vimos em outros trabalhos que realizamos, o início é de uma certa forma tímido, poucas palavras, pouca movimentação (foto →), mas ao iniciarem a experimentação, ficam maravilhados, e começam a colaborar cada vez mais, pois passam a resgatar todos os momentos, neste caso específico, relembraram momentos da infância, realmente uma experiência gratificante para todos.

Os resultados foram melhorando cada vez mais, o único limite desta dinâmica é o tempo, sabe por que ? Pois é quando uma pessoa compratilha outra pessoa pode se lembrar de fatos e situações, que juntas podem levar a um resultado completamente inesperado e inovador. Esta etapa durou apenas uma hora, veja na foto quantas lembranças ocorrram apenas neste tempo ( ↓ ), somente no grupo em que eu facilitava.

 

Agora veja o que a colaboração entre as pessoas pode alcançar, ainda mais que o objetivo é combater o trabalho infantil ( ↓ )

 

 

 

 

 

Depois iniciamos a etapa de convergência respondendo a pergunta: Diante do cenário brasileiro em relação ao trabalho infantil, que ações objetivas podem  ser realizadas para a mudança dessa realidade?

Neste momento cada grupo utilizou a técnica de agrupamento por afinidade dentro das inúmeras informações colocadas na etapa anterior, respondendo a questão acima, tendo como desafios gerar 3 ideias de solução. O grupo que eu facilitava chegou a um ponto de vista, que está atrelado ao resgate dos rituais, como reinserir a importância dos mesmos na escola, na comunidade e nas famílias, trabalhando na criação de atividades que envolva todos dentro do contexto: as crianças como centro do trabalho, os pais como os que trazem o exemplo, a escola como agente de transformação ( ↓ ). Esta atividade durou 1 hora.

Cada grupo teve 10 minutos para apresentar as 3 idéias e receber feedbacks. Receber feedbacks é uma atividade extremamente importante, pois é compartilhando que se aprende, de forma coletiva, gerando mais idéias! ( ↓ )

 


 

 

 

 

 

É uma experiência extremamente rica, valiosa, que toda organização, comunidade, ONGs pode realizar, é simples, basta ter disposição e vontade de agir, tendo uma proposição de valor ainda maior se o objetivo é de um trabalho social, uma causa que requer a atenção de todos na sociedade!

   (←)Como não poderia ser diferente quando falamos de colaboração, nos ajudaram no processo de facilitação nossos ex-alunos da primeira turma do curso de Modelos de Negócios Inovadores da ESPM: são eles Francisco, Eduardo, Vera e Carlos.

Agradecemos muito ao Vinícius, com seu talento e dedicação (→), registrou momentos desta tarde de trabalho!

Pratique inovação você também!