Posts

A importância da Educação Corporativa

educaçào corporativa 2Investir na capacitação dos colaboradores deixou de ser um luxo há algum tempo. Empresas que querem se destacar,  produzir mais e melhor, cada vez mais, estão fazendo da educação corporativa um diferencial competitivo.

O mais interessante deste processo é fazer o conhecimento circular internamente. Muitas empresas deixam de aproveitar o conhecimento de seus profissionais mais experientes e, por isso, precisam fazer grandes investimentos na contratação de cursos externos. O ideal é balancear entre o conteúdo interno e as contribuições de fornecedores que ofereçam capacitação técnica e de negócios para tornar a equipe mais eficaz e engajada. Isso só é possível, quando a educação corporativa faz parte dos planos da empresa.

A seguir, veja algumas ideias para fazer da educação corporativa uma mola propulsora do crescimento empresarial:

1 – Tenha um programa de capacitação

Estruturar uma estratégia de capacitação para os colaboradores, além de gerar metas a serem cumpridas e definir objetivos em curto, médio e longo prazo, também pode se tornar um diferencial na imagem de empregadora da empresa.

Um estudo realizado pelo Great Place to Work revelou que uma das características mais marcantes das empresas que figuram o topo da lista de melhores lugares para se trabalhar é o investimento em capacitação da equipe. O sentimento que a empresa está investindo no conhecimento pessoal, além é claro de aumentar as expertises dos colaboradores, faz com que a equipe se sinta motivada a dar o melhor de si, gerando um ciclo de competitividade e crescimento econômico.

2 – Aproveite os investimentos em capacitação para fomentar a inovação

Solucionar problemas antigos com ideias disruptivas, criar novos produtos e serviços, melhorar processos. Tudo isso é pauta constante na mesa de diretoria das empresas que querem se manter competitivas.

Uma boa maneira de incentivar a inovação é o investimento em capacitação. Os cursos, as palestras, o intercâmbio de informações entre os colaboradores, podem ser utilizados para melhorar a colaboração e incentivar o ‘fazer diferente’. O ideal é estabelecer um elo entre a educação corporativa e as iniciativas para a inovação.

3 – Incentive a atualização dos profissionais

2014-09-24 14.34.18Para que a educação corporativa contribua com o crescimento da empresa, ela precisa estar relacionada à estratégia de negócio da empresa. Assim, todos os investimentos em auxílio educação (graduação, especialização etc.) e realização de cursos in company devem se alicerçar nas necessidades da companhia.

Basicamente, os gestores precisam se perguntar “que habilidades técnicas e não técnicas eu preciso que meus liderados desenvolvam para chegar a este objetivo?”, “quais colaboradores precisam ser treinados ou podem ser estimulados a se desenvolver para assumir novos desafios?”.

O incentivo à atualização e aos estudos não pode ser somente com subsídios. Ele precisa estar no discurso e nas ações da empresa e de seus líderes – isso está muito ligado à meritocracia. Os colaboradores que aproveitam os treinamentos oferecidos pela empresa e buscam conhecimento por conta própria precisam ser reconhecidos e estimulados. Assim, eles se tornam cada vez mais produtivos e leais aos objetivos corporativos.

4 – Faça da capacitação um acordo de parceria

Demonstre ao seu colaborar que o investimento que a empresa está oferecendo destina-se para que ele cresça com pessoa e profissionalmente, mas em contrapartida, a organização espera que os conhecimentos adquiridos com a atividade sejam transmitidos internamente no ambiente de trabalho como um retorno.  Estabeleça um programa de gestão do conhecimento. Desta forma, todos ganham.

Como estão os investimentos da sua empresa em educação corporativa? Você gostaria de conversar mais sobre este assunto? Deixe um comentário!

A importância de um ambiente favorável à inovação

Desde que iniciamos a transição entre uma economia industrial para a economia pós-industrial temos nos deparado com a mudança da forma de trabalho. Na sociedade industrial os trabalhadores se encaixavam nas funções descritas pela área de recursos humanos, de forma clara e padronizada. Na era do conhecimento em que estamos vivendo, das pessoas é exigido não só desempenhar um papel, mas gerar resultados criativos, inovadores e surpreendentes. Nesta era não se vende mais produtos, mas se desenvolve o mercado e os clientes, que esperam cada vez mais serviços novos e melhores.

Para que possa ocorrer uma efetiva gestão do conhecimento, as organizações necessitam construir um ambiente participativo, coordenado e que propicie o compartilhar do conhecimento. Precisam ainda favorecer o aprendizado organizacional, agregar valor aos seus produtos e serviços além de contribuir para a criação do conhecimento organizacional.

Por sua vez, a criação do conhecimento organizacional não pode depender apenas de tecnologia e conhecimentos técnicos. Para que o conhecimento se desenvolva é necessário que a empresa funcione como uma comunidade social com espaço para o surgimento das habilidades específicas de orientação, comunicação e difusão. Essas habilidades são construídas ao longo do tempo e dão à organização o seu caráter específico e indicam o caminho do desenvolvimento.

 A gestão do conhecimento se vale da utilização de determinados métodos e técnicas muitas vezes desconhecidas como tal por aqueles que as adotam. As evidências demonstram que essas práticas estão sendo usadas cada vez com mais frequência  A adoção e implantação de práticas (métodos e técnicas) de gestão do conhecimento podem ser vista como uma fase crítica do movimento empresarial no que tange a integração das empresas à era do conhecimento.

Mas para gerar resultados criativos e inovadores, a forma de organização do trabalho também tem se alterado nas últimas décadas. Ambientes descontraídos, motivadores, amplos e sem controle de tempo são alguns exemplos. Diferente dos ambientes tradicionais com mesas perfiladas, ambientes criativos são caóticos, com uma certa bagunça, muita conversa, muito desenho pelas paredes e muitas ideias em post its espalhados por todos os cantos.

Outro diferencial desse habitat de inovação é que as empresas se agrupam em parcerias, pessoas e ideias se conectam constantemente, em forma de uma grande colmeia, pulam de ambiente para ambiente promovendo uma polenização humana e proporcionando um ambiente propício à inovação, passando de pessoa a pessoa, sem controle ou rigidez.

Universidades e centros de pesquisas estão intimamente ligados aos centros empresariais, provendo especialistas, empreendedores e sonhares e disponibilizando-os às empresas para realizarem pesquisa aplicada, direcionada para a solução de problemas que podem até nem serem conhecidos ao serem inventados.

O conhecimento e as maneiras como este é administrado não faz parte do pensamento comum das pessoas, entretanto inconscientemente é realizado no dia a dia. Cada indivíduo possui experiências, se relaciona com outras pessoas e dispõe de informações estratégicas. A gestão do conhecimento consiste em organizar essas informações, aplicar o conhecimento coletivo e saber quando e como utilizá-lo na forma de resolução de problemas a fim de atingir os objetivos da organização.

Proporcionar este ambiente especial para a criação do conhecimento e promover a inovação é um dos objetivos do Curso Inovação em Modelos de Negócios que realizaremos nos dias 16 a 18 de maio de 2013, em São Paulo em parceria com a ESPM. Momentos de descontração e intercâmbio de experiências estão na pauta do programa que também abordará a evolução do conceito de modelo de negócio, suas representações, características e o seu processo de desenvolvimento. Identificará o processo de desenvolvimento de um modelo de negócios, suas aplicações e possibilidades. Será também abordado o design thinking como forma de gerar novas ideias e consequentemente novos bens & serviços ou negócios e destacará a importância do serviço a ser realizado para o cliente em sintonia com a proposta de valor, gerando modelos de negócios inovadores.

Desta forma, ao final do curso os participantes estarão aptos a desenhar e elaborar modelos de negócios visando à inovação em seus negócios atuais ou na implantação de novos modelos de negócios. Para mais informações acesse nossa página cursos e workshops ou diretamente na página da ESPM.